O dia 20 de outubro, dedicado a homenagear, internacionalmente, o Controlador de Tráfego Aéreo, foi escolhido quando da realização, nessa mesma data, do primeiro encontro internacional de Controladores de Tráfego Aéreo, no ano de 1960, na Grécia.

Naquela oportunidade, portanto, há quase seis décadas, já se vislumbrava a importância basilar do Controlador de Tráfego Aéreo para o desenvolvimento da Navegação Aérea no mundo, sendo reconhecido como um profissional de raciocínio rápido e de controle emocional diferenciado, sagaz em antever situações, com alto grau de concentração e senso de responsabilidade elevado, características exigidas no desempenho de sua função.

Na busca da excelência desses profissionais, no Brasil, os controladores de tráfego aéreo são selecionados, capacitados e treinados para garantir a segurança, a fluidez e a ordenação do tráfego aéreo em padrão internacional e de acordo com o que é preconizado pela Organização de Aviação Civil Internacional, o que os licencia a atuar em qualquer órgão de controle de tráfego aéreo do mundo, haja vista sua formação completa realizada em modernas instalações como as existentes na Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR) e no Instituto de Controle do Espaço Aéreo (ICEA).

Todas essas caraterísticas inatas do Controlador de Tráfego Aéreo, complementadas pela sua formação e por uma capacitação continuada, são exigências de um profissional que se dedica a planejar, ordenar e controlar meios aéreos que não somente transportam vidas mas, também, a garantia da continuidade de vidas com o transporte de órgãos humanos, além de movimentar e integrar a economia global.

Ademais dessa integração do espaço aéreo brasileiro, não podemos esquecer a importância desse profissional na garantia da soberania do nosso espaço aéreo, exercida com o apoio dos meios aéreos da aviação de caça, de reconhecimento e de transporte, ou no próprio gerenciamento e controle do fluxo aéreo nacional, além da participação fundamental no sucesso das missões de Busca e Salvamento, todos exemplos da imprescindível expertise incorporada pelo Controlador de Tráfego Aéreo, ao longo dessas mesmas décadas, em suas atribuições que contribuem, de forma ímpar, para a constante evolução do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro.

Nesse contexto, e ao reconhecer a especificidade dos Serviços de Tráfego Aéreo, sua importância no cenário nacional e internacional e os desafios que rotineiramente se apresentam a esses “Anjos da Aviação”, não tenho dúvidas de que a operacionalização de futuros conceitos de controle, em constante evolução na Organização de Aviação Civil Internacional e aplicados no Brasil, como, por exemplo, nos projetos de Órgãos de Controle remotos, capitaneados pela Força Aérea Brasileira, ou mesmo durante a realização de novos eventos como foram os da magnitude dos Jogos Olímpicos Rio 2016, encontrará sempre o nosso efetivo de Controladores de Tráfego Aéreo capacitado, motivado e cônscio da importância de adaptar-se continuamente a um Sistema de Gerenciamento de Tráfego Aéreo moderno, eficiente e em condições de atender à demanda crescente de nosso País.

Assim, cumprimento todos controladores, mulheres e homens, civis e militares, profissionais cuja rotina diária e anônima é a de colaborar na garantia da segurança e da fluidez da Navegação Aérea no espaço aéreo brasileiro e de contribuir para o progresso, integração e defesa de nossa imensa nação.

Parabéns, Controlador de Tráfego Aéreo!

Ten Brig Ar JEFERSON DOMINGUES DE FREITAS
Diretor-Geral do DECEA

Fonte: DECEA – Departamento do Controle de Espaço Aéreo