Durante o início da década de 40, a humanidade passava por um dos episódios mais sangrentos de sua história, com o desenrolar da Segunda Guerra Mundial, ou, como pode ser interpretada por alguns, a segunda parte de uma única grande guerra que apenas teve um período de cessar fogo de 30 anos.
As potências do Eixo, principalmente a Alemanha, avançavam assustadoramente com seu plano de dominação mundial. Após conquistar grandes áreas da Europa, partem para o hemisfério sul, praticando ataques que afundaram dezenas de navios brasileiros, inclusive tirando várias vidas. Do lado dos Aliados, após o governo brasileiro assinar a declaração de guerra, os Estados Unidos e o Brasil unem esforços para conter o avanço nazista no Atlântico sul. O Plano? Os EUA construiriam bases aéreas em território brasileiro de onde partiriam as aeronaves que atacariam os submarinos e navios do Eixo, após a guerra, toda a infraestrutura construída seria brasileira.

Assim surgiu num ponto estratégico para a operação militar devido ao forte nevoeiro que predomina na região, a Base Aérea Afonso Pena, construída na Colônia Afonso Pena, munícipio de São José dos Pinhais, homenageando o sexto presidente da República. Em janeiro de 1946, terminada a guerra, o aeroporto foi oficialmente aberto para a aviação civil/comercial, iniciando sua história como o aeroporto que possibilitou à região de Curitiba ter mais fácil acesso às até então luxuosas viagens de avião com estrutura superior à do já existente Aeroporto de Bacacheri.
Na década de 70 sua administração deixou de ser do Ministério da Aeronáutica passando para a recém-criada Infraero, em 1996 o aeroporto ganhou seu atual terminal de passageiros e passou a ser internacional. Para a época, um elefante branco, porém comparado ao antigo podia ser considerado um aeroporto de primeiro mundo! Adequando-se ao crescente movimento da aviação comercial.

 

Mantendo até hoje a mesma configuração de pistas criada durante a guerra, 15/33 e 11/29, e infelizmente por muito tempo tendo sido alvo de críticas por isso, hoje o aeroporto está com a pista principal 100% recapeada e com grooving, deixando de ser um pesadelo para os pilotos em dias de chuva, pois sua fama era de pista perigosa quando molhada. Possui instalações consideravelmente modernas, com operação IFR diurna e noturna (com direito à RNAV), ALSF-2, ILS CAT 2 nas cabeceiras 15 e 33, passando atualmente por obras para adequar ao ILS CAT III, ampliação do pátio de aeronaves de 16 posições para 25, e um terminal de cargas com 13.000m² que atende as várias indústrias instaladas na região e possibilita o pouso dos mais diversos cargueiros que fazem a alegria dos spotters!
Neste post especial de aniversário seguem algumas fotos da história destes 69 anos desde a primeira operação comercial no SBCT no dia 24/01/1946!

 

Comentários