Dando continuidade ao artigo anterior, sobre balizamento noturno, hoje vamos falar sobre outras luzes de auxílio aos pilotos, mas essas são usadas em período diurno também! Existem dois auxílios visuais que indicam aos pilotos se eles estão na rampa de planeio certa durante a aproximação para pouso, acima, ou abaixo dela. O mais simples é o VASIS, o mais completo é o PAPI. Existem outras variações destes equipamentos previstos pela ICAO, mas pelo menos no Brasil os mais comuns são esses dois.

VASIS

Sigla para Visual Approach Slope Indicator System (Sistema de Indicação de Rampa de Aproximção Visual), consiste em um conjunto de luzes brancas e vermelhas que indicam nada mais do que o que foi dito acima: ou está abaixo da rampa, ou acima, ou na rampa. Fica instalado nas laterais da pista, composto por um jogo de luzes no começo da zona de toque e outro próximo ao ponto de visada, 150m à frente. Essa disposição causa no piloto a impressão de que um conjunto de luzes está acima do outro, e funciona da seguinte forma:

  • Se todas as luzes estiverem brancas, a aeronave está alta, acima da rampa;
  • Se todas as luzes estiverem vermelhas, a aeronave está baixa, abaixo da rampa;
  • E se em um jogo de luzes estiverem vermelhas e no outro brancas, está exatamente na rampa.

Cada parte do VASIS (a “de baixo” e a “de cima”, na visão do piloto) é formada por um conjunto de 3 fontes de luzes distintas, lado a lado

VASIS cabeceira 33

VASIS cabeceira 33

os dois conjuntos de luzes que formam o VASIS

os dois conjuntos de luzes que formam o VASIS

Exceto quando há uma forma Abreviada, conhecida por AVASIS, que é o caso da cabeceira 11 do SBCT, onde cada parte é formada por apenas 2 conjuntos de fontes de luz, de um lado da pista apenas

AVASIS cabeceira 11

AVASIS cabeceira 11

PAPI

Precision Approach Path Indicator, como o nome sugere, é um auxílio de precisão (Indicador de Trajetória de Aproximação de Precisão). Também é um jogo de luzes brancas e vermelhas, a diferença é que são 4 luzes, instaladas de um ou dos dois lados da pista na altura do ponto de visada e indicam dois estágios tanto acima da rampa quando abaixo:

  • 4 brancas: muito acima da rampa
PAPI 36 SBBI, 4 brancas

PAPI 36 SBBI, 4 brancas

  • 3 brancas e 1 vermelha: um pouco acima da rampa
PAPI 36 SBBI, 3 brancas e 1 vermelha

PAPI 36 SBBI, 3 brancas e 1 vermelha

  • 2 brancas e 2 vermelhas: na rampa
PAPI 36 SBBI, 2 brancas e 2 vermelhas

PAPI 36 SBBI, 2 brancas e 2 vermelhas

  • 1 branca e 3 vermelhas: um pouco abaixo da rampa
PAPI 36 SBBI, 1 branca e 3 vermelhas

PAPI 36 SBBI, 1 branca e 3 vermelhas

  • 4 vermelhas: muito abaixo da rampa

IMG_7243

Tanto no VASIS como no PAPI as luzes vermelhas e brancas estão acesas 100% do tempo, o que muda é o ângulo do qual a luz é vista, e isso vai definir se a luz que chegará até os olhos do piloto será branca ou vermelha.

IMG_6052

O funcionamento é simples, vejam na foto acima: a luz no fundo da “caixa” é visível através de uma fenda estreita, conforme o angulo de visão vai ficando mais alto, a parte frontal da caixa vai escondendo a parte vermelha da luz e a fenda vai permitindo que seja vista somente a parte branca, enquanto o contrário ocorre quando o ângulo de visão fica mais baixo. A alteração do ângulo de cada fonte de luz independente no solo (os dois conjuntos do VASIS ou as 4 luzes separadas do PAPI) faz com que cada fonte de luz possa ser vista de uma cor diferente, o ajuste ideal desse ângulo faz a aeronave ficar na rampa de planeio correta!

PAPI cabeceira 15 SBCT, 4 fontes de luz com ângulos diferentes

PAPI cabeceira 15 SBCT, 4 fontes de luz independentes

 

IMG_6103

Uma forma também de fazer com que cada fonte de luz do PAPI seja vista com uma angulação diferente é instalar elas à distâncias diferentes da cabeceira da pista. Normalmente as 4 luzes não ficam lado a lado, mas sim umas recuadas alguns metros das outras

Gostaram do artigo? Até o próximo!