As pistas utilizadas para pouso e decolagem devem ter suas marcações pintadas de branco, nos casos de pistas cuja cor da sua pavimentação é muito clara, como as pistas de concreto, é recomendável que a pintura branca tenha uma “borda” preta para aumentar o contraste. Isso acontece na cabeceira 15 do Afonso Pena, como lá não possui taxiway que leva até a cabeceira obrigando as aeronaves a fazer uma volta de 180° após o back-track, essa cabeceira foi feita de concreto para melhorar a resistência do piso, pois o giro de aeronaves pesadas sobre o asfalto pode danificar gravemente o pavimento. Mais ou menos o que acontece nas canaletas dos ônibus biarticulados aqui em Curitiba!

 

Nessa foto podemos ver as faixas brancas pintadas com uma borda preta sobre a superfície de concreto.

1

Mas o que significam essas pinturas e qual a utilidade delas para os pilotos?

 

Vamos falar sobre cada uma delas, usando como exemplo a pista do Aeroporto de Navegantes em Santa Catarina!

2

Essa pista possui as pinturas bem completas sendo um bom exemplo.

No artigo anterior vimos o que são as stopways e cabeceiras deslocadas. A ICAO recomenda que quando elas existem, haja na cabeceira uma faixa transversal indicando o exato começo da pista, essa é a faixa marcada em vermelho na foto abaixo

3

Essa faixa transversal deve ter pelo menos 1,80m de largura e comprimento igual à largura total da pista. Ela não é necessária quando a cabeceira da pista é o começo dela propriamente dito, como acontece nas cabeceiras 36 do BI, 11 e 29 do CT.

 

A 6 metros da cabeceira estão as “teclas de piano”, “faixa de pedestres”, ou, o nome oficial: Marcas de cabeceira.

4

São faixas longitudinais dispostas simetricamente distantes do eixo da pista. A largura das faixas e o espaço entre elas é de aproximadamente 1,80m. O espaço entre os 2 grupos é o dobro, afinal são 1,80m para cada lado do eixo central da pista.

 

A quantidade de faixas serve para indicar a largura da pista:

-> 18m 4 faixas

-> 23m 6 faixas

-> 30m 8 faixas

-> 45m 12 faixas

-> 60m 16 faixas

 

Isso é importante para um piloto efetuar o arredondamento para o toque durante o pouso. Conforme a aeronave vai aproximando, a pista vai ficando cada vez mais larga na visão dos pilotos, porém uma pista de 30m nunca vai ficar tão larga quando uma de 60m, e essa largura que o piloto enxerga é fundamental para julgar a altura que se está em relação a ela. As faixas dizem ao piloto se uma pista é realmente estreita ou se ele ainda está muito alto e pode descer mais um pouco.

Faixas laterais

5

Percorrem todo o comprimento da pista de uma cabeceira à outra para indicar seus limites laterais, em pistas com 30m ou mais de largura, as faixas possuem 90cm de largura. Em pistas mais estreitas são apenas 45cm.

Designação da pista

6

12m após as marcas de cabeceira vem a designação da pista. É o conjunto de 2 dígitos numéricos que vão de 01 a 36, e podem ser acompanhados de uma letra. Futuramente vamos ver como esses números são definidos, mas como sabemos, no SBCT eles são 15, 33, 11 e 29, enquanto no SBBI são 18 e 36.

 

O Afonso Pena possui duas pistas, porém não são paralelas, por isso os números são diferentes. Se as pistas fossem paralelas e ambas fossem 15/33, esses números seriam acompanhados das letras L e R, do inglês Left e Right (Esquerda e Direita).

Uma pista seria a 15L/33R e a outra a 15R/33L. Imagine-se na aproximação final, você veria uma pista ao lado da outra, então uma seria a 15L (Esquerda) e a outra a 15R (direita).

E se houvesse 3 pistas? A do meio seria a 15C (central).

 

No caso de 4 ou mais pistas paralelas a ICAO recomenda que seja feito apenas um jogo com as letras L, R e C (“L R L R” / “L C R L R” / “L C R L C R”), mas normalmente para evitar confusões com duas pistas 15R por exemplo, alguns aeroportos modificam o número somando ou subtraindo apenas 1 unidade em algumas pistas. Um exemplo com 5 pistas poderia ser 18L 18C 18R 19L 19R, assim todas as pistas ficam com designações diferentes entre si.

 

Center line

7

Depois da designação da pista, há mais 12 metros de espaçamento e então começa a marcação do eixo da pista, conhecido por center line. São as faixas tracejadas que percorrem todo o comprimento da pista até a cabeceira oposta para guiar o piloto no caso de um vento lateral começar a tirar a aeronave do eixo. O comprimento das faixas é de no mínimo 30m com espaço vazio de 20m, e a largura depende da operação da pista:

-> se for operar ILS CAT II e III, a largura será 90cm;

-> se for operar apenas ILS CAT I, a largura será 50cm;

-> se não for operar com sistemas de pouso de precisão, a largura pode ser apenas 30cm.

 

Para não ficar muito extenso, vamos ver as outras pinturas no próximo artigo, até lá!