O conceito de “pista em uso” define a pista que está sendo utilizada para os pousos e/ou decolagens.

Por questão de segurança devido à performance das aeronaves, essas operações de pouso e decolagem devem ser feitas sempre CONTRA o vento. Nos aeroportos controlados, é a Torre que avalia a direção e intensidade do vento e define qual cabeceira da pista será utilizada para pousar e decolar.

 

Se o vento for muito fraco e se isso trouxer benefícios para o fluxo do tráfego aéreo pode-se utilizar uma cabeceira que esteja com o vento a favor. De qualquer forma o comandante da aeronave tem plena autonomia para solicitar à torre que seu pouso ou decolagem seja feito na outra cabeceira se ele julgar que isso será mais seguro.

 

No Bacacheri, se o vento estiver soprando do sul para o norte (ou por exemplo de sudoeste para nordeste), a pista em uso será a 18, pois a aeronave decolará e pousará sentido norte – sul, ou seja, contra o vento. Porém a pista 18 para pouso é mais curta devido à cabeceira deslocada existente lá (mais pra frente vamos falar dela), se o vento for fraco pode ser mais vantajoso para uma aeronave mais pesada pousar a favor do vento na cabeceira 36, que possui uma distância para pouso maior. Nesse caso basta o comandante da aeronave solicitar isso ao controlador!

 

Quando os aeroportos são planejados deve-se levar em conta os ventos predominantes na região e construir as pistas alinhadas com eles. Em locais em que há pouca variação do vento pode acontecer de a pista ativa ser sempre a mesma durante longos períodos do ano, acontece de entusiastas destes lugares acharem que algo de anormal aconteceu quando a pista inverte. Normalmente a única coisa que aconteceu realmente foi que a direção do vento mudou! Nossa região sofre constantes mudanças de vento, às vezes no decorrer de um mesmo dia, por isso é comum que nossas pistas operem nos dois sentidos.

 

E aí pessoal, estão gostando dos artigos? Até o próximo!