Tipos de Transponder e suas funcionalidades.

Neste artigo, vamos tratar sobre os tipos de transponder e suas funcionalidades e diferenças entre sistemas.

A função principal desse equipamento é a identificação e a posição da aeronave. Os radares dos órgãos de controle captam os sinais do transponder, dando aos controladores informações de posição, altitude e identificação.

foto-artigo-xpdr - Cópia

Painel do CJ2+ com indicação da localização do XPDR

MODOS A/C

Os tipos de transponder mais básicos, e essenciais para se voar em locais onde este equipamento é requerido, são os que possuem modo A e C (pronuncia-se usando o alfabeto fonético: modos Alfa e Charlie).

MODO A: é o que transmite apenas o código transponder (Squawk code) alocado pelo piloto. Este código é composto de 4 algarismos, de 0 a 7 (não existe código transponder com dígitos 8 e 9).

É o transponder mais básico que existe. Com ele, os radares (dos órgãos de controle, não os de ADSB) são capazes de somente captar a posição da aeronave, sem informações de altitude.

MODO C: é a capacidade de transmissão da informação de altimetria (altitude da aeronave). Em conjunto com o modo A, os radares dos órgãos de controle tem condições de receber a posição e a altitude da aeronave.

Nem o MODO A, tampouco o MODO C transmitem qualquer tipo de identificação da aeronave. Essa identificação é feita pelo controlador, que aloca um código específico para aquela aeronave, e o transmite via rádio para que o piloto insira esse mesmo número em seu transponder. A partir daí, o controlador vai associar, por exemplo, o código 5266 com o PT-ABC em sua tela de radar. Portanto, se o piloto mudar o código transponder sem informar ao órgão de controle, sua identificação será desfeita. Também não se pode ter na mesma região mais de uma aeronave com o mesmo código transponder, pois isso acarretaria duplicidade na identificação das aeronaves.

Os transponders modos A e C precisam de um radar para serem captados. O radar envia um pulso de informação (interrogador) e o transponder “responde” a esse sinal com o código transponder (modo A) e altimetria (modo C).

 

MODO S – transponders modernos

O MODO S (fala-se Modo SIERRA), no geral, é o tipo de transponder mais completo das aeronaves atuais. A principal característica dele é a possibilidade de transmitir dados, além das informações básicas dos transponders A e C.

Este modo é capaz de transmitir a identificação da aeronave, em forma de um código hexadecimal. Os sites como FlightRadar24.com, Planefinder, etc, usam esse código hexadecimal para mostrar o prefixo/matrícula da aeronave. A matrícula da aeronave normalmente não é transmitida, somente o código hexadecimal. A matrícula mostrada é uma associação desse código através um banco de dados de cada site, visto que o HEX Code é fixo para aquela aeronave e, normalmente, só muda quando a aeronave é transferida de país.

A frequência de operação dos transponders Modo S é 1090MHz.

Além da identificação e altitude, um transponder Modo S pode possuir um upgrade, chamado de Extended Squitter (ES). Existem textos também nomeando essa capacidade de 1090ES, alusiva a frequência de operação utilizada.

A interface do Modo S, por ser capaz de transmitir dados, também serve de base para outros sistemas importantes, tais como ADSB e TCAS.

ADS-B

O ADS-B, do inglês, Automatic Dependent Surveillance-Broadcast (Sistema Automático de Transmissão e Vigilância, em tradução livre), é a um sistema que utiliza a capacidade de transmissão de dados dos transponders modo S para transmitir, além de outros dados, a posição (coordenada geográfica) da aeronave, com o intuito de prover uma informação de posição precisa, sem a necessidade de radares complexos e caros em solo. Ao contrário dos modos A e C do transponder, o ADS-B, como o nome já diz, transmite de forma automática os dados de identificação, posição e altimetria da aeronave, sem a necessidade de um radar interrogando. Além desses dados básicos, normalmente são transmitidos também dados de velocidade em relação ao solo (ground speed), razão de subida/descida em pés por minuto, rumo magnético, callsign (indicativo de chamada no rádio) e, em alguns casos, ventos, velocidade real do ar em relação à aeronave (TAS), velocidade em relação ao som (Mach Number) e temperatura do ar externo.

Os dados ADSB são transmitidos pelo Extended Squitter do transponder Modo S. Portanto, uma aeronave com transponder Modo S sem ES não é capaz de possuir ADSB.

TCAS

Outro equipamento que utiliza a interface dos transponders Modo S é o TCAS (Traffic Collision Avoidance System). É um sistema que mostra aos pilotos numa tela a posição aproximada das aeronaves no entorno e, caso uma delas, entre em rota de colisão, o TCAS é capaz de identificar o melhor meio de evitá-la, “conversando” com outros transponders das aeronaves em sua volta, mostrando ao piloto a razão de subida ou descida necessária para realizar a manobra evasiva com sucesso, em caso de conflito de tráfego.

Gostou? Então até a próxima semana com mais um capítulo da nossa série de Conhecimentos Aeronáuticos! Até lá  😎 .

Comentários