Temido por uns, amado por outros. Dono de um característico “choro” proveniente dos seus dois turbo-reatores Rolls Royce Tay 650-15 instalados na sua cauda, com seu visual único e eletrônica embarcada avançada para sua época, teve um papel importantíssimo na aviação brasileira e muitos dizem que foi o principal responsável por transformar a TAM de uma pequena empresa regional na maior empresa aérea do Brasil. Infelizmente foi protagonista de tragédias com essa mesma empresa que marcaram a aviação brasileira e mancharam, injustamente, a sua reputação no Brasil, sendo necessária até uma mudança de nome para “MK28” quando passou a ser amplamente utilizado pela recém nascida Oceanair, que mais tarde passou a ser chamada Avianca Brasil.

Aqui em Curitiba já não aparecia havia alguns meses desde que o voo da Avianca que ligava a capital paranaense a Campo Grande foi cancelado, mas na data de ontem, dia 24/11/15, oficialmente o Fokker 100 despediu-se dos céus brasileiros fazendo seu último voo com passageiros para a imprensa. Operado pela aeronave PR-OAU, o voo decolou de Congonhas e pousou cerca de 40 minutos depois, quando foi homenageado com o clássico batismo pelos caminhões contra-incêndio.

 

Preparamos uma seleção de fotos da aeronave no Afonso Pena e em voo para Curitiba nas cores de seu último operador, Oceanair/Avianca Brasil e alguns vídeos logo abaixo, uma pequena homenagem à esse pequeno-grande jato!

Uma arremetida durante aproximação final para o SBCT devido à forte chuva, até mesmo um raio é visível.

 

Decolagem de Guarulhos com destino a Curitiba

E por fim, o último pouso da aeronave em Congonhas, na pista 35L