A Comissão Técnica de Avaliação e Fiscalização do Programa Municipal de Incentivo Fiscal e Social aprovou na quinta-feira (1º), por unanimidade, o apoio na instalação de uma escola de aviação em Guaratuba.

A Escola Paranaense de Aviação (EPA), de Curitiba, prometeu investir R$ 1,5 milhão em 2011, num total de R$ 3,7 milhões. Entre 2012 e 2013, a empresa pretende aplicar R$ 1,3 milhão. Em 2014 deverão ser injetados mais R$ 900 mil. A previsão é de gerar aproximadamente 40 empregos diretos e indiretos.

A contrapartida do município será a cessão de uso de uma área de 5.400 metros quadrados no Aeródromo de Guaratuba pelo prazo de 20 anos. A prefeitura também terá de fazer a manutenção da pista de pouso, do pátio de estacionamento e das cercas do aeroporto.

Demanda na aviação

A EPA opera há 30 anos no Aeroporto do Bacacheri e forma pilotos da Força Aérea Brasileira, de empresas de aviação e particulares de 22 países, com destaque para a América Latina e África. A filial de Guaratuba deverá formar turmas de 50 alunos num curso com duração de 14 meses e custo de R$ 70 mil. 

Segundo a empresa, apenas no Brasil há uma demanda entre 200 e 300 pilotos formados a cada ano.

No espaço que irá ocupar no aeroporto de Guaratuba, a EPA irá construir um hangar para quatro aviões Cessna 172 N, um alojamento inicialmente com 30 quartos, instalar um simulador de voo e um tanque de combustível. A projeção final da EPA é atender 120 alunos e adquirir seis aeronaves ao todo. A escola também pretende formar pilotos de helicóptero,comissários de voo e mecânicos de manutenção aeronáutica. A escola deverá promover voos panorâmicos para turistas.

“Sem ficar olhando da cerca”

O representante da Associação Empresarial de Guaratuba (Acig) na comissão de avaliação, Vilmar Faria Silva, destacou que a EPA não solicitou nenhuma isenção ou deferimento (prazo) de impostos. “A Acig está empenhada em colaborar com todas as iniciativas como esta que geram desenvolvimento social e econômico na cidade”, disse Faria. 

O empresário foi indicado pela Acig para compor a comissão do programa de incentivo fiscal e social, que existe desde 2005 e esteve desativada durante anos. Ao ser indicado, Silva declarou que “vários setores produtivos do município poderiam ter um rendimento melhor caso fossem desenvolvidas políticas públicas de incentivo” e que a Acig iria “trabalhar para que estas ideias saiam do papel”. 

Durante a análise da proposta da EPA, o representante da Acig solicitou que a empresa se insira em projetos sociais e ambientais em Guaratuba e conceda pelo menos um bolsa de estudantes para um morador de Guaratuba. “Devemos incentivar o desenvolvimento econômico da cidade sem fazer com que o cidadão guaratubano fique assistindo o progresso do lado de fora da cerca”, disse Vilmar Faria. A proposta deverá ser analisada futuramente pela comissão e pela empresa.

Guaratuba concorreu com duas cidades

Além de um representante dos empresários, a comissão do programa de incentivo é composta por um representante da Câmara, o vereador Laudi Carlos de Santi (PT) e por quatro representantes da prefeitura, os secretários Gil Justus (Finanças), Carlos Carvalho (Governo) e Natanael Fanini (Obras) e ainda o procurador-geral do Município, Jean Colbert Dias. A presidência é de Gil Justus. 

O proposta de instalação da EPA é a primeira analisada pela comissão, nomeada no final de agosto. O projeto foi estudado e negociado durante seis meses pelo procurador do município. “Guaratuba concorreu com Ponta Grossa e Castro, tendo obtido boa pontuação no quesito infraestrutura e vencendo em função da proximidade de grandes centros como Curitiba e Joinville”, explicou Colbert.

De acordo com Jean Colbert, além das “claras vantagens econômicas e de promoção turística”, a escola de aviação terá repercussão social como a vinda de profissionais do Brasil e do exterior e ainda em ações como passeios para alunos das escolas do município. “Também teremos a ativação do aeroporto municipal e vamos contar com aeronaves instaladas na cidade que podem ser usadas em situações de emergência”, disse Colbert.

Projeto Social

A EPA também se propõe a retomar o projeto “Talentos Empreendedores”, que desenvolveu até 2001 em parceria com a Prefeitura de Curitiba. No projeto, cerca de 40 crianças matriculadas na Rede Municipal de Ensino frequentariam escola onde a EPA irá dispor de um laboratório para realizarem trabalhos manuais e noções de civismo. Todas as atividades serão relacionadas à aviação com orientação dos funcionários da EPA. A prefeitura deverá providenciar o transporte das crianças até as instalações da EPA e o lanche.

Fonte: Correio do Litoral

Comentários

  1. Lucas Gabardo disse:

    Achei que fosse a aerocon, mas é a EPA realmente voltando a instrução? Show de bola, Guaratuba tava precisando de um melhor aproveitamento do aeroporto, quando for passar o final de ano la da pra fazer umas horinhas kkkkkk

  2. Guido disse:

    Sim, um dos meus professores me contou desse projeto, deve ser demais fazer o IFR com G1000!!!

  3. Guido disse:

    Ops, o 172N não tem G1000, mas meu professor tinha dito q eles tavam querendo usar avião com glass

  4. Gabriel disse:

    Caraca mano, voar em Guaratuba com C172, já sei onde vou fazer minhas horas, agora R$70 mil o pacote fechado até PLA, será(Tipo escola americana from Zero to PLA)? E a hora não vai ser barata para VFR!

  5. Filipe disse:

    Aerocon em Paranaguá, EPA em Guaratuba… Ta ficando ótimo o negócio! 😀

  6. ricardo A. A. de Azevedo disse:

    Na boa…3,7 milhões ? Haha…Quem sabe faz ao vivo. Só acredito em 2014 depois que tiver investido. Marketing de boca é fácil fazer. Também vou comprar uma Ferrari no ano que vem. kkkkkkkk