Fonte: Gazeta do Povo

Publicado em 19/12/2009 | Themys Cabral

O metrô de Curitiba pode não ser usado já na Copa de 2014, como admitiu ontem o prefeito Beto Richa, mas a terceira pista do Aeroporto Internacional Afonso Pena, sim. A obra é esperada desde a inauguração do terminal, em 1996, e pode colocar o aeroporto, na prática, na rota de voos internacionais. Para que fique tudo concluído até o mundial, porém, será preciso correr contra o tempo, já que nem mesmo o projeto de engenharia está pronto.

Antes de se sentar à mesa de negociações com o prefeito Beto Richa, ontem pela manhã, o ministro Paulo Bernardo reuniu-se mais cedo com o vice-governador, Orlando Pessuti. Rodeado de políticos e líderes empresariais, Pessuti pediu a Bernardo apoio do governo federal para a construção da terceira pista do aeroporto. Bernardo respondeu que o governo federal pretende apoiar o projeto. Segundo o ministro, porém, é preciso resolver uma série de questões para viabilizar a obra.
Paulo Bernardo falou da necessidade de se terminar a desapropriação da área (faltam ainda 20%), remanejar as cerca de mil famílias que estão ao redor – em uma área de ocupação irregular –, vencer etapas de licenciamento prévio, licenciamento ambiental e licitação. “Em menos de quatro anos não sai. É possível fazer até a Copa, sim, mas temos de trabalhar duro”, afirmou o ministro.

Uma visita do presidente da Infraero, Murilo Marques Barboza, e do ministro da Defesa, Nelson Jobim, ao aeroporto será marcada para janeiro para que os trabalhos possam ser começados. De acordo com Bernardo, já há recursos do governo federal para a elaboração do projeto básico. Para a implantação da obra, estimada em R$ 750 milhões, entretanto, não há nada definido.

A maior pista do Afonso Pena hoje tem 2.200 metros, o que não permite que aeronaves maiores, utilizadas em voos internacionais, pousem no terminal. “Nosso aeroporto foi inaugurado aleijado. Foi internacionalizado, mas tem uma pista de aeroporto regional”, comentou o diretor do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas do Paraná (Setcepar) e coordenador do Grupo de Trabalho do Aeroporto Afonso Pena, Valmor Weiss.

Comentários

  1. jose luiz da costa disse:

    Nós continuamos sonhando com terceira pista, faz 20 anos que vejo esta novela, hoje o Afonso Pena, já está sucateado, já passou sua capacidade original de passageiros, me da Pena.